(41) 3122-2091 (51) 9-9920-7592

Plano Safra 2021/22 eleva recursos a R$ 251 bilhões, mas juros também sobem

às
Nenhum comentário

Verba para investimentos (+29%) e agricultura familiar (+19%) ganharam reforço, enquanto custeio e comercialização foram reduzidos em relação ao ciclo anterior

O Ministério da Agricultura lançou nesta terça-feira (22/6) o Plano Safra 2021/2022 e anunciou R$ 251,2 bilhões em recursos para o crédito agrícola, sendo R$ 165,2 bilhões a taxas de juros controladas.

Durante apresentação do plano, o diretor de Financiamento e Informação da pasta, Wilson Vaz Araújo, afirmou ser “inevitável uma elevação da taxa de juros”, que sofreram reajuste médio de 10% em relação ao Plano Safra anterior.

Para o Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), foram destinados R$ 39,3 bilhões, aumento de 19% ante a safra passada. As taxas de juros, por sua vez, passaram de 2,75% para 3% no caso de custeio na produção de alimentos e de 4% para 4,5% nos demais produtos.

A renda bruta anual para o enquadramento no programa também sofrerá ajuste a partir de 1º de julho, passando a R$ 500 mil – 20% acima do praticado no ano-safra anterior.

Para o Programa Nacional de Apoio ao Médio Produtor Rural (Pronamp), serão disponibilizados R$ 34 bilhões com taxas de juros de 5,5% para custeio e de 6,5% para investimento.

A renda bruta anual máxima para solicitar as linhas de crédito do programa também foram reajustas em 20% este ano e passarão a ser de R$ 2,4 milhões. A mudança foi uma recomendação do setor para o governo diante do forte aumento nos preços de comercialização nos últimos 12 meses.

Para os demais produtores, a taxa de juros do Plano Safra 2021/2022 será de 7,5% para custeio e de 8% para investimentos. O governo destacou um aumento de 29% nos recursos para investimentos, que somarão R$ 73,4 bilhões. 

As linhas desta categoria foram as primeiras a terem recursos esgotados na última temporada e receberam maior atenção este ano. Só para construção de armazéns serão R$ 4,12 bilhões – 84% a mais que no ano-safra 2020/2021.

A previsão do Ministério da Agricultura é que o montante seja suficiente para financiar a construção de até 500 unidades privadas de armazenamento nos próximos meses.

Para programa de subvenção ao seguro rural, foram mantidos os mesmos R$ 1 bilhão disponibilizados na safra passada, com o dobro de subvenção para o milho de 2ª safra quando comparado com a soja: 40%.

O percentual é o mesmo oferecido para as demais culturas e para a pecuária. Do total, R$ 50 milhões serão reservados para subvenção de 60% no valor das apólices de seguro rural de produtores enquadrados no Pronaf, com foco nas culturas de milho 1ª safra, soja e fruticultura. Outros R$ 50 milhões serão reservados para produtores da região norte e nordeste do país.

Fonte: Globo Rural