(41) 3122-2091 (51) 9-9920-7592

Cultivares de soja da Embrapa serão demonstradas na ExpoDireto

às
Nenhum comentário

O portifólio de cultivares de soja da Embrapa estará sendo demonstrado na Vitrine de Tecnologias da Embrapa na ExpoDireto Cotrijal, que ocorre de 07 a 11 de março, em Não-Me-Toque (RS). Dois destaques são a BRS 1054IPRO e a BRS 525, desenvolvidas na parceria entre a Embrapa Soja e a Fundação Meridional, e que serão apresentadas aos visitantes do evento pelo pesquisador Osmar Conte. 

 

BRS 1054 IPRO

A BRS 1054 IPRO é uma cultivar transgênica com tolerância ao glifosato e com genética para controle de algumas espécies de lagartas. É altamente produtiva comparada com as outras opções de mercado em altitudes acima de 700 m. “Destacaria ainda duas características: a estabilidade de produção com precocidade (grupo de maturidade 5.4) além de permitir o plantio antecipado, mantendo o potencial produtivo e maximizando o sistema de sucessão/rotação de culturas”, bem como facilita o manejo da ferrugem da soja, enfatiza o pesquisador Marcos Rafael Petek, da Embrapa Soja.

A BRS 1054IPRO é indicada para o Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná e São Paulo. Com relação à sanidade, apresenta resistência ao cancro da haste, à mancha “olho-de-rã”, à podridão radicular de Phytophthora e ao mosaico comum da soja e é moderadamente resistente ao oídio e à podridão parda da haste.

 

BRS 525

Outra novidade da Embrapa é a BRS 525, uma cultivar de soja convencional, superprecoce, que tem expressado alto potencial produtivo nas regiões frias. “Por ser uma soja convencional com grãos de hilo claro, geralmente uma preferência dos mercados asiáticos, seu grão pode facilitar a exportação entre nichos de mercado”, destaca Petek.

A BRS 525 tem alcançado as maiores produtividades nas regiões de altitude elevada, acima de 700 metros. De acordo com o pesquisador, a cultivar é superprecoce – pertence ao grupo de maturidade 5.6 – e tem ainda resistência ao acamamento. “Por ter ciclo precoce, é uma boa opção para fazer o manejo da ferrugem da soja. Isso porque quando a doença inicia a incidência severa na região, a soja já está fechando o ciclo”, destaca o pesquisador.

A precocidade, segundo ele, também permite sua inserção no sistema de rotação com outras culturas semeadas na região fria, como feijão. A BRS 525 também é indicada na sucessão do trigo. “O produtor que planta trigo na região fria, colhe em meados de novembro e, por isso, uma cultivar de soja que produz bem quando semeada no final de novembro e início de dezembro deve agradar aos produtores que pretendem fazer a sucessão trigo-soja”, avalia. 

A BRS 525 é indicada para semeadura em solos de alta fertilidade e também apresenta boa estabilidade produtiva, além de possuir resistência às principais doenças da soja, incluindo resistência à Podridão Radicular de Phytophthora.  A cultivar é indicada para RS (Missões, Planalto Médio, Alto Vale do Uruguai Leste / Oeste); SC (Oeste, Meio-Oeste, Centro-Norte e Serra Geral e Nordeste); PR (sudoeste e centro-sul) e SP (sul).

 

Parceria

De acordo com Ralf Udo Dengler, gerente executivo da Fundação Meridional, as inovações que chegam ao campo só são possíveis, devido à expertise da equipe técnica e à variabilidade genética do Banco Ativo de Germoplasma, localizado na sede da Embrapa Soja, em Londrina.

“Há mais de 20 anos, temos muito orgulho de sermos parceiros fortes e atuantes neste trabalho, que oferece aos produtores um portfólio completo de cultivares em todas as plataformas (convencional, RR e Intacta), com elevado rendimento (conceito TOP 5000), sanidade, estabilidade e adaptação às mais diferentes condições de solo e clima”, diz Dengler.  

Fonte: Embrapa

Itens relacionados