(41) 3122-2091 (51) 9-9920-7592

Santa Catarina terá órgãos de combate e repressão aos crimes contra o agronegócio

às
Nenhum comentário

“O abigeato é um crime que sempre nos preocupa”, disse o presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Santa Catarina, José Zeferino Pedrozo

O Centro de Apoio Operacional de Combate aos Crimes contra o Agronegócio (CAOAGRO), a Delegacia de Polícia Virtual de Repressão aos Crimes contra o Agronegócio (DELEAGRO) e o Núcleo de Inteligência do Agronegócio (NintAGRO) serão ativados e inaugurados nesta quarta-feira (2), às 10 horas, durante abertura do 23º Itaipu Rural Show, Pinhalzinho.

As estruturas serão instaladas junto à Diretoria de Polícia da Fronteira (DIFRON/PCSC), em Chapecó.

A iniciativa é do governador Carlos Moisés da Silva e da Polícia Civil de Santa Catarina por meio do delegado-geral da Polícia Civil Marcos Flávio Ghizoni Júnior e o diretor de Polícia da Fronteira, delegado Fernando Callfass.

Na visão do presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Santa Catarina (Faesc), José Zeferino Pedrozo, a DELEAGRO e os demais órgãos que serão oficializados nesta semana representam uma grande conquista para o setor que é penalizado há anos com prejuízos enormes, causados por furtos e roubos nas propriedades rurais do Estado.

“O abigeato é um crime que sempre nos preocupa, pois além das perdas econômicas, coloca em risco a segurança e a produtividade dos nossos produtores”, observa Pedrozo, ao destacar a importância da iniciativa.

O delegado Fernando Callfass realça que os órgãos serão essenciais para fortalecer a atuação das autoridades no que se refere à segurança do setor.

Ao mencionar a Operação DIFRON SEGURA, que cumpriu três mandados de busca e apreensão relacionados às investigações de crimes de abigeato, em Abelardo Luz, na última semana, o delegado reforça que os trabalhos já começaram.

A ação foi feita pela Polícia Civil, por meio da Delegacia de Polícia da Comarca de Abelardo Luz, com apoio da Divisão de Investigação Criminal de Xanxerê (DIC) e do CAOAGRO.

Segundo Fernando Callfass, as investigações mostraram que uma propriedade rural vinha sofrendo há anos a subtração de bovinos. “Recentemente durante uma das subtrações foi possível identificar os rastros deixados pelos suspeitos”.

O delegado conta, ainda, que nas buscas foi localizada uma arma de fogo em desconformidade com a legislação resultando na prisão em flagrante de um dos investigados.

Ainda, durante fiscalização juntamente com a Vigilância Sanitária de Abelardo Luz, foram apreendidos em um estabelecimento comercial, aproximadamente 20kg de carne bovina suspeita de serem receptadas pelo comerciante.

Os suspeitos são investigados pelos crimes de abigeato (art. 155, §6º do Código Penal) e receptação dolosa qualificada (art. 180, §1º do Código Penal).

Fonte: Portal DBO

Itens relacionados