(41) 3122-2091 (51) 9-9920-7592

Dia D terá oficina de inseminação artificial e debate sobre cenários da caprinocultura e ovinocultura

às
Nenhum comentário

Dia D terá oficinas e palestra sobre caprinocultura na programação de sua 10ª edição

Os participantes da 10ª edição do “Dia D”, que acontecerá entre 22 e 24 de julho, na Fazenda Carnaúba, em Taperoá (PB), terão acesso a soluções tecnológicas e debates sobre a produção de caprinos e ovinos no Brasil. A Embrapa Caprinos e Ovinos participará do evento, com oficina sobre a Técnica Embrapa de Inseminação Artificial Transcervical para Caprinos e palestra sobre os cenários das atividades da caprinocultura e da ovinocultura no semiárido brasileiro.

A oficina acontecerá nos dias 23 e 24, às 9h30, no espaço organizado pelo Sebrae, e demonstrará as vantagens da técnica de inseminação desenvolvida pela Embrapa que, ao usar pinça apropriada para fixação do colo uterino das cabras e manter os animais na mesma posição da monta natural, consegue otimizar o processo de deposição do sêmen dos reprodutores. Com a técnica, é possível inseminar uma maior quantidade de animais em tempo reduzido, além de proporcionar melhor bem-estar animal. 

“Vamos mostrar que a técnica é de simples execução. Qualquer pessoa, desde que treinada, pode realizar sua prática em uma estratégia de melhoramento genético”, afirma o médico-veterinário Alexandre Monteiro, analista da Embrapa Caprinos e Ovinos que será instrutor da oficina. A capacitação terá duas turmas diferentes, uma para cada dia.

No dia 22, o Dia D terá a presença da pesquisadora Ana Clara Cavalcante, chefe-geral da Embrapa Caprinos e Ovinos, que apresentará a palestra “Caprinocultura e Ovinocultura no Semiárido: como prosperar frente a mudanças climáticas e incertezas”, às 10 horas, no palco principal. Segundo ela, é importante trazer reflexões sobre como essas duas atividades podem se manter competitivas em cenários como os de eventos climáticos mais agudos ou mesmo em uma pandemia como a Covid-19, que trouxe impactos para a produção rural.

“É possível sim. Inclusive porque a pecuária de pequenos ruminantes é a mais adequada às regiões semiáridas e áridas no mundo”, ressalta Ana Clara. Segundo ela, é necessário adotar ações para aumentar a eficiência produtiva, para que caprinocultura e ovinocultura sejam atividades preparadas para cenários de imprevistos. Para isso, serão necessárias inovações em dois eixos: tecnológico e organizacional.

De acordo com Ana Clara, no âmbito tecnológico, o setor produtivo deve buscar inovações que permitam usar com eficiência os recursos disponíveis nas propriedades rurais; adotar ferramentas que facilitem as tomadas de decisão; agregar valor aos produtos gerados pela produção de caprinos e ovinos. Já no âmbito organizacional, ela considera que é fundamental, para produtores e outros atores das atividades produtivas, participar de redes (como cooperativas e associações); ampliar a participação de públicos como mulheres e jovens nas tomadas de decisões; ter uma estrutura de assistência técnica mais orientada para os problemas do setor.

Dia D

Em 2022, o Dia D, organizado pela Fazenda Carnaúba, volta a ter uma edição presencial, após duas edições em formato online, por conta das medidas sanitárias de distanciamento social da pandemia da Covid-19. O evento reúne produtores rurais, empresários, criadores, expositores e pesquisadores para palestras, oficinas, leilões de animais, diálogos sobre negócios e conhecer os processos de funcionamento da Fazenda.

A programação de atividades técnicas deste ano contempla, além da caprinocultura e ovinocultura, forragicultura, produção de queijos, avicultura, bovinocultura, controle de pragas agrícolas, meliponicultura e demonstração de cães de pastoreio. O estado da Paraíba conta com o 5º maior plantel de caprinos (cerca de 733 mil cabeças) e o 6º maior de ovinos (aproximadamente 712 mil animais), segundo a Pesquisa da Pecuária Municipal (PPM) do IBGE de 2020.

Fonte: Embrapa

Itens relacionados