(41) 3122-2091 (51) 9-9920-7592

Novo biodefensivo à base de baculovírus chega ao mercado

às
Nenhum comentário

O mais novo biodefensivo agrícola para controle da lagarta-do-cartucho (Spodoptera frugiperda), o BaculoMip SF, já está disponível no mercado. O bioinsumo recém-lançado é fruto de uma parceria público-privada formada entre a Embrapa e a empresa Promip e é indicado para todas as culturas atacadas por esse inseto.

A lagarta-do-cartucho é uma das principais pragas do milho e atinge outras culturas importantes, como a soja, atacando ainda mais de 100 espécies, entre cereais, hortaliças e frutas. O BaculoMip SF foi desenvolvido a partir do isolado 19 de Baculovirus spodoptera da Embrapa Milho e Sorgo e é o primeiro produto microbiológico na linha da Promip.

O BaculoMip foi oficialmente lançado dia 19 de outubro de 2021, em live transmitida pelo canal da Embrapa no YouTube. Participaram da cerimônia Lauro José Guimarães, chefe-adjunto de Transferência de Tecnologia da Embrapa Milho e Sorgo, o pesquisador Fernando Hercos Valicente, responsável pela coordenação dos estudos na Embrapa, e o relações públicas Aurélio Favarin. Da empresa Promip, participaram os engenheiros agrônomos Marcelo Poletti, CEO da empresa, e Edmar Tuelher, pesquisador.

Segundo Marcelo Poletti, este lançamento é um marco histórico para a empresa Promip, que já tem 15 anos no mercado de insumos biológicos. “O BaculoMip surge neste mercado como uma grande oportunidade para o produtor e deve ser inserido dentro de programas de manejo integrado de Spodoptera frugiperda. O grande diferencial deste lançamento é a integração do BaculoMip com o TrichoMip (Trichogramma pretiosum). A junção do BaculoMip atacando as lagartas com o TrichoMip atacando ovos dessa mesma praga potencializa o manejo em diferentes populações da praga em diversas regiões produtoras do País”, disse o CEO da Promip. O TrichoMip utiliza a vespinha Trichogramma pretiosum, que impede a eclosão de ovos da Spodoptera frugiperda (ação ovicida).

Em sua apresentação, Fernando Valicente abordou o uso do baculovírus no controle da lagarta-do-cartucho. Ele explicou que o manejo biológico de pragas é uma prática que permite manter a sustentabilidade das lavouras e do meio ambiente. Segundo ele, esta praga tem adaptabilidade muito grande nas lavouras. “A lagarta-do-cartucho é a principal praga do milho, tanto na safra quanto na safrinha, e pode reduzir a produção de grãos em até 60%. A pesquisa trabalha para mitigar um pouco dos danos”, disse Valicente.

Edmar Tuelher explicou que o BaculoMip SF é específico para o controle da lagarta-do-cartucho e não afeta outros organismos no meio ambiente, como os parasitoides, os predadores e os insetos benéficos presentes nas lavouras. “O mecanismo de ação do BaculoMip SF confere a ele a possibilidade de ser utilizado nos sistemas de cultivos orgânicos e convencionais. Este mecanismo de ação também confere ao produto a possibilidade de ser usado no manejo de resistência a inseticidas e no manejo de resistência das lagartas nas culturas Bt utilizadas comercialmente”, disse Tuelher.

Na abertura do evento, Aurélio Favarin lembrou que em 19 de outubro é comemorado o Dia da Inovação e que o lançamento de um insumo biológico está alinhado aos compromissos do Brasil e da Embrapa com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), propostos na Agenda 2030 da Organização das Nações Unidas. Em seguida, Lauro Guimarães falou sobre a importância da contribuição da pesquisa e da parceria da Embrapa com a iniciativa privada para entregar novas tecnologias para o agronegócio.

Fonte: Embrapa

Itens relacionados