(41) 3122-2091 (51) 9-9920-7592

Exportações de carne bovina in natura devem registrar novo recorde mensal, apostam analistas

às
Nenhum comentário

“A probabilidade de mais um recorde mensal (para os meses de abril) é muito grande”, avalia Yago Travagini, da Agrifatto

Os embarques brasileiros de carne bovina in natura registraram desaceleração na terceira semana de abril, atingindo 29,47 mil toneladas, ante os resultados de 41,83 mil toneladas e 48,15 mil toneladas verificados nas duas semanas anteriores do mesmo mês, segundo informa a consultoria Agrifatto, com base nos dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex).

No entanto, a média diária exportada na terceira semana do mês foi de 8,5 mil toneladas, um avanço de 36% quando comparado à média exportada no mês de abril do ano passado.

No acumulado das três semanas de abril/22 (período de 14 dias úteis), os embarques alcançaram 119,45 mil toneladas, um acréscimo de 12% sobre o desempenho registrado em igual período de 2021, de 106,61 toneladas.

Na avaliação de Yago Travagini, analista da Agrifatto, mesmo com o menor ritmo dos embarques observados na terceira semana de abril/22, “a probabilidade de mais um recorde mensal (para os meses de abril) para as exportações brasileiras de carne bovina in natura é muito grande” (durante todo o mês de abril /21, as vendas externas totalizaram 125,47 mil toneladas, até agora o recorde histórico para esse mês).

Segundo estimativa da consultoria IHS Markit, o volume total exportado em abril/22 pode superar 160 mil toneladas, o que representaria um crescimento de 27,5% em relação ao volume embarcado em abril do ano passado.

“A demanda chinesa segue como principal destino das exportações brasileiras de carne bovina, porém os resultados auferidos até o momento não contemplam as condições atuais de suspensão de cinco plantas frigoríficas e a paralisação das atividades portuárias em Shangai (devido ao avanço da Covid-19)”, observam os analistas da IHS.

Em receita, os embarques acumulados nos 14 primeiros dias de abril/22 atingiram US$ 739,03 milhões, montante 24% superior ao faturamento arrecadado em todo o mês de abril de 2021.

Na terceira semana deste mês, o preço médio mensal da tonelada embarcada avançou para US$ 6,19 mil/toneladas, praticamente o mesmo valor registrados nas duas semanas imediatamente anteriores, de US$ 6,15/tonelada e US$ 6,15/tonelada.

Milho – As exportações de milho reduziram o ritmo registrando durante a terceira semana de abril/22, atingindo 14,71 mil toneladas – queda de 88,7% sobre o volume obtido na semana anterior, informa a Agrifatto, com base nos dados da Secex.

Até o momento, em abril/22 foram vendidas para o mercado internacional 253,09 mil toneladas do grão, volume 94,5% superior ao registrado em abril/21.

O preço médio mensal da tonelada ficou em US$ 330,44 na terceira semana de abril/22, valorização de 2,9% ante a semana anterior.

Dentro dos 14 dias úteis de abril/22 foi arrecadado US$ 83,63 milhões com as vendas externas do cereal, montante 2,6 vezes superior ao destinado aos negócios em todo abril/21, quando a tonelada tinha o preço 26,4% menor, compara a Agrifatto.

Fonte: Portal DBO

Itens relacionados